18 março 2017

CURSO DE ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

Descrição

No curso Arquitetura Sustentável o participante conhecerá o histórico, conceitos, principais conferências e tratados, diretrizes e formas de utilização dos recursos naturais em projetos arquitetônicos, bem como verá estudos de casos, modelos e propostas de arquitetura.
Turma disponível: 19/03/2017
Carga horária: 60 horas
Duração: 30 diaS
Fonte; https://ead.portaleducacao.com.br/engenharia/cursos/curso-de-arquitetura-sustentavel/3111/afiliado/8631

22 dezembro 2016

REUTILIZANDO ÁGUA DA CHUVA

Saiba como reaproveitar a água da chuva com projeto de baixo custo

 Mini cisterna idealizada por Edison Urbano pode ser feita no quintal de sua casa

 

Água de chuva pode ser utilizada para regar plantas, lavar calçada, quintal e até em vaso sanitário (Foto: Shutterstock)
 
 
Os constantes alertas sobre a escassez de água no mundo vêm fazendo com que soluções inovadoras sejam pensadas para diminuir o consumo diário. O básico é diminuir o tempo de banho, fechar a torneira enquanto escova os dentes, utilizar um regador, entre outras coisas. Mas existe um projeto de mini cisterna que pode ser útil para tarefas do cotidiano, além de ajudar no racionamento.
A ideia surgiu há dez anos pela necessidade de economizar a água potável. Em um primeiro teste, em que o sistema reutilizava a água do banho para as descargas do vaso sanitário, o empreendedor teve uma economia de 30% nas contas de casa.

Há a possibilidade, ainda, de torna-la potável. Mas, segundo Urbano, o custo fica muito alto e não compensa financeiramente. “Em algumas regiões a água da chuva é usada como água potável, mas sempre é necessário o uso de cloro para evitar doenças e a área de captação deve ser longe das lavouras para evitar a contaminação por agrotóxicos”.

O “inventor” deixa claro que o objetivo principal é conscientizar a população para a economia de um dos maiores bens do mundo. Fora isso, o sistema foi criado para que caiba em qualquer canto de uma casa e dentro das normas técnicas da ABNT.

O tambor pode ser implantado, também, em varandas de apartamento. Mas, infelizmente, os condomínios não permitem a instalação de calhas na parede do prédio.


Mini cisterna não ocupa muito espaço (Fotos: Edison Urbano)
 
Para a criação da cisterna, deve-se escolher um local que fique perto do tubo de descida da calha e que seja de fácil acesso. A base do tambor pode ser feita em alvenaria, metal ou madeira e em uma altura de pelo menos 45 cm.
Sistema – Para iniciar a construção da mini cisterna é preciso ter os materiais, que são achados facilmente em casas de construção. É necessário comprar somente tubos e conexões de PVC, filtro para tirar as impurezas, uma torneira e um reservatório de 200 litros. “Tudo não chega a R$ 300. Esses tambores (reservatório) podem ser comprados também em lojas especializadas”, aconselha o empreendedor. O manual completo para a montagem da mini cisterna, com fotos e dicas passo a passo, está disponível no site Sempre Sustentável, de Edison Urbano.
A montagem se inicia pela instalação da tubulação de descida da água da calha do telhado. É necessário um filtro de água auto-limpante, produzido com tubo de 75 mm, que serve para telhados de até 50 m². Para projetos maiores, use o mesmo tubo para cada 50 m². É importante ter um separador das primeiras águas de chuva e descarte das águas de chuvas fracas, para depois enviar a água de chuva forte para a cisterna.





 
Estes tubos vão filtrar as sujeiras mais
As cisternas precisam de dois furos para entrada e saída de água e devem ser feitos logo abaixo dos anéis da boca do tambor. Para fazer os furos, você vai precisar de uma furadeira com broca de 6 mm, uma grosa ou lima grossa, lixas, régua e um lápis. Os buracos devem ficar como na imagem abaixo.

Após os furos, encaixe um tubo atravessando os dois buracos. Depois disso, já é possível instalar a torneira, na parte que quiser. O ideal é que se use uma torneira para jardim com rosca na ponta para conectar uma mangueira.

Mini cisterna com tubos instalados no tambor e torneira para a utilização da água
 

Tratamento da água – Mesmo que a água reservada na mini cisterna não seja potável, é importante ter alguns cuidados para fazer a desinfecção e corrigir o pH.
Para fazer a desinfecção jogue apenas uma colher de chá de cloro orgânico granulado, ou em pequeno tablete, toda vez que entrar água nova no tambor ou meia hora antes de utilizá-la. Esse cloro deve ser colocado dentro de um pote pequeno de plástico, com alguns furinhos e com pedras dentro.
Para corrigir o pH e torna-la mais balanceada você pode usar produtos específicos para isso, que são encontrados em lojas de produtos de piscina. Essa fase é importante para a água não agredir as plantas, pisos, louças e metais.

Água pode ser tratada com claro dentro de um pequeno pote, como este da foto

Urbano finaliza dizendo que faz de tudo para que as pessoas construam suas próprias cisternas. Mas caso tenham dificuldades, ele constrói o modelo básico por R$ 700, principalmente para influenciar o aproveitamento da água de chuva.

FONTE; http://revista.zapimoveis.com.br/saiba-como-reaproveitar-a-agua-da-chuva-com-projeto-de-baixo-custo/?_ga=1.122475912.267872449.1478044409

19 junho 2016

PAPAGAIO CHARÃO OU PAPAGAIO DA SERRA

 
 
 
 
 
 
O papagaio-da-serra, papagaio-charão ou simplesmente charão, é uma espécie de papagaio endêmica do sul do Brasil, ocorre no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, regiões onde existe o pinheiro-do-paraná, de cujas sementes se alimenta. 
  
Nome científico: Amazona pretrei
 
Classificação superior: Amazona 

Classificação: Espécie
 
Fonte: Wikipédia

28 maio 2016

12 PSCINAS NATURAIS DO MUNDO





Procurando por atrações diferentes e refrescantes para fugir do inverno brasileiro e conhecer nas próximas férias? As piscinas naturais podem ser uma ótima opção. Com águas naturais transparentes e cercadas por belíssimas paisagens, essas maravilhas da natureza agradam tanto os amantes de aventuras como os turistas mais tranquilos, que querem passar seus dias livres relaxando.

Fonte: http://www.msn.com/pt-br/noticias/other/conhe%C3%A7a-12-piscinas-naturais-ao-redor-do-mundo/ar-BBtky3V?li=AAggXC1&ocid=SK2MDHP#image=BBtkDgS|4

21 maio 2016

CACHOEIRA DA FUMAÇA - CHAPADA DIAMANTINA - BAHIA - BRASIL



A segunda cachoeira mais alta do Brasil, com 340 metros, é uma das principais atrações da Chapada. A maneira "mais fácil" de vislumbrar a água que jorra de um buraco no paredão é de cima, arrastando-se até a beira do precipício. Para chegar lá é preciso caminhar duas horas (seis quilômetros). Quem pretende apreciar a queda por baixo deve se preparar - partindo de Lençóis, são três dias de caminhada em meio às serras. 
 
FONTE: http://www.feriasbrasil.com.br/ba/chapadadiamantina/cachoeiradafumaca.cfm