30 abril 2008

ARACRUZ CELULOSE AJUDANDO A SALVAR AS BALEIAS


Enfim, todos estamos participando. As gerações vindouras agradecem.


Salvador, 17 de Setembro de 2002 - Aracruz Celulose cria rotas alternativas no transporte de madeira para preservar espécie. Para transportar por via marítima 1,7 milhão de toneladas/ano de toras de eucalipto, do extremo-sul da Bahia para Barra do Riacho, no litoral norte do Espírito Santo, a Aracruz Celulose recorreu à assessoria de uma Organização Não Governamental (ONG), que vem trabalhando no assunto desde o ano passado. Motivo: evitar que a presença de barcaças perturbem a movimentação das baleias jubarte e branca, que todos os anos acorrem àquela área para reprodução. Ao longo do último ano, o Instituto Baleia Jubarte, patrocinado pela Petrobras, mapeou as áreas de menor concentração de baleias, a cerca de 20 milhas da costa, por meio de uma série de sobrevôos. Agora, os biólogos da ONG fazem uma observação mais próxima, de barco, para verificar o número de baleias acompanhadas de filhotes e que, por isso, permanecem por mais tempo no local, até que as crias tenham condições de fazer grandes percursos. O trabalho já resultou em dois roteiros a serem cumpridos pelas barcaças da Aracruz. O primeiro, em linha reta, para o período de janeiro a junho. Nesta época do ano as baleias estão na Antártida, onde passam seis meses alimentando-se de um pequeno crustáceo, o krill. A outra rota será cumprida de fins de junho até dezembro, período em que os animais, calculados em torno de 2.500, se dirigem à área denominada banco de Abrolhos, no litoral sul da Bahia, fugindo do inverno da Antártida, para acasalamento e reprodução. "Estamos sendo preventivos e pró-ativos. Queremos inserir nossa atividade nesse habitat de maneira a causar o menor impacto possível", disse o diretor de operações da Aracruz Celulose, Walter Nunes. A Aracruz investiu US$ 52 milhões para transportar madeira de eucalipto de suas plantações no sul da Bahia até o terminal exclusivo para celulose da empresa, o Portocel, no município de Barra do Riacho, 60 quilômetros ao norte de Vitória. O investimento abrange a construção de um terminal em Caravelas (BA) - de onde partirão as embarcações -, mais as adaptações em Portocel, as barcaças, empurradores e outros equipamentos. As toras são destinadas a atender em até 35% as necessidades de matéria-prima da chamada Fábrica C, a terceira planta de celulose da companhia, inaugurada em maio. Os testes de transporte começarão no final deste ano. Em janeiro, a operação já deverá estar transcorrendo normalmente. Serão três barcaças, com capacidade para 5 mil toneladas... C-5(Gazeta Mercantil/Página A1)(Maria José Quadros)
saiba mais:
Salvador, 17 de Setembro de 2002 - cada uma, mais um empurrador, que estarão em atividade ininterruptamente. Nunes informou que, a partir de 2005, a frota será acrescida de mais uma barcaça e um empurrador para que o volume transportado se amplie para 3,4 milhões de toneladas anuais. De acordo com as rotas traçadas pelo Instituto Baleia Jubarte, no período de janeiro a junho as barcaças poderão fazer a viagem em 12 horas. Nos outros meses, o tempo será aumentado em 1 hora e 20 minutos, a fim de evitar as áreas frequentadas pelas baleias. Nunes admite que o alongamento do percurso terá efeito sobre os custos, "mas nada que comprometa o projeto". O banco de Abrolhos é a principal área de reprodução da baleia jubarte no Atlântico Sul ocidental. A espécie é das mais ameaçadas - a estimativa é de que existam hoje menos de 10% da população original. No caso da baleia franca - que prefere o litoral sul do Brasil, mas também costuma aparecer na costa da Bahia, em áreas mais próximas da praia - o número é ainda menor. A diretora do Instituto Baleia Jubarte, Márcia Engle, disse que negocia com a Aracruz o acompanhamento do dia-a-dia da operação de transporte de madeira por biólogos da entidade. A idéia é dar um lugar para os especialistas viajarem nas próprias barcaças, durante a época de reprodução das baleias.

FONTE: (Gazeta Mercantil/Página C5)(Maria José Quadros)

2 comentários:

  1. Obrigada, Nadja!
    Através do seu comentário, gostaria muito de agradecer a presença, de todos os amigos, aomeu blog. Este blog, foi criado para divulgar notícias, notas e comentários de eventos pró e contra o meio ambiente, visando conscientizar a todos os perigos que corremos e alertar sobre atitudes que podemos tomar para neutralizar ou melhorar o atual quadro ecológico do Planeta.

    ResponderExcluir